OTIMIZAÇÃO DE TEMPO E RECURSOS NOS PROCESSOS SELETIVOS

Quem trabalha na área de Recrutamento e Seleção sabe como é compensador encontrar e contratar um excelente candidato! Vê-lo crescer na empresa, desfrutando do sucesso e feliz, não tem preço!

Um bom profissional de Recrutamento e Seleção sabe que planejar cada etapa do processo seletivo é importantíssimo para revelar e ver surgir o sucessor de posições maiores.

Poucas pessoas enxergam o trabalho duro que envolve o processo de recrutamento e seleção. Desenho da posição, aprovações, planejamento, divulgação, triagem, aplicação de testes, entrevistas, análises e, por fim, a apresentação dos finalistas ao gestor. Em média, há um aproveitamento de apenas 10% dos candidatos pré-selecionados.

O profissional de recrutamento e seleção faz todo o trabalho para os decisores terem o maior número de informações possíveis antes da contratação. O RH contribui com seu parecer, mas as decisões não são democráticas. Apenas as ideias são.

Se a satisfação é grande quando o profissional de recrutamento e seleção emplaca sua contratação, fica a frustração por todos aqueles outros bons candidatos que não avançaram. Como reprimir a torcida por aquele determinado profissional? Quem nunca?!

Em números médios, considerando os 10% de aproveitamento de candidatos, um analista de recrutamento e seleção que contrata 60 posições/mês, entre triagem e entrevistas, teve contato com aproximadamente 600 candidatos.

Por mais que a tecnologia ajude, fica difícil lembrar de todos para outras oportunidades. Mesmo que fosse possível, alguns profissionais não avançam por questões de incompatibilidade com a cultura da empresa, por exemplo. Isso torna impossível o reaproveitamento dos candidatos. Os bancos de talentos vão acumulando profissionais, que dificilmente serão considerados para outras oportunidades de trabalho.

O selecionador – analista de recrutamento e seleção – sabe que nutrir bons relacionamentos e networking ativo são fundamentais para agilidade em novos processos seletivos. Os bancos de candidatos não aproveitados são fontes poderosíssimas para o networking e para o bolso.

 

NETWORKING – QUANTO VALE O SEU?

 

Todo o processo de recrutamento e seleção e o empenho em relacionar-se com os candidatos reprovados, por mais estratégico que seja a atuação do RH na empresa, passam desapercebidos aos olhos dos gestores.

Mesmo os indicadores do processo de R&S não demonstram o tamanho do empenho operacional em cada vaga contratada.

Se os candidatos aprovados representam bons resultados para a empresa, os não aprovados representam um desperdício de recurso e tempo. Tempo é dinheiro para as empresas e para os profissionais de RH.

Pensando por uma lógica simplista, é possível dizer que a maior parte dos investimentos em salários para estes profissionais de recrutamento e seleção é destinada ao erro. Apenas 10% se convertem em bons investimentos. As perdas são ainda maiores se as contratações não forem boas o suficiente para gerarem os resultados esperados.

 

ECONOMIA COMPARTILHADA OU COLABORATIVA EM RH – OTIMIZAÇÃO DE TEMPO E RECURSOS NOS PROCESSOS SELETIVOS

 

Imagem: https://www.linkedin.com/pulse/how-build-relationship-capital-sharing-economy-rob-peters/

A economia compartilhada ou colaborativa equilibra recursos, tempo e dinheiro para todos os envolvidos nos processos de RH, especificamente os de recrutamento e seleção.

O candidato não contratado consome tempo do selecionador. Esse tempo, quando bem aplicado, pode render uma grana extra para quem atua com recrutamento e seleção.

De todo o processo de recrutamento e seleção, dois pontos principais interessam às empresas: a atração e contratação de candidatos engajados. As demais etapas, chamadas de “meio” são caras, geram frustração e pouco agregam ao negócio.

Empresas como a Work4all dão um novo significado aos processos de R&S. Valorizam e reconhecem todo o esforço do selecionador – analista de recrutamento e seleção -, oferecendo a possibilidade de receita adicional.

As empresas contratantes têm a possibilidade de trocar custos fixos por variáveis e ainda os reduzir em até 50%, além de uma maior agilidade e foco estratégico total nos negócios.

Os candidatos não aproveitados trocam a frustração pela possibilidade de concorrer a outras vagas, participando de um único processo seletivo. Recebem feedback em cada etapa do processo, nutrem seu networking e ainda recebem um percentual do salário de contratação como hiring bônus.

Todos ganham! Além disso, incentiva o relacionamento sincero e não aquele networking que só acontece ou é nutrido nos momentos de necessidade.

Isso é possível quando o conhecimento e os relacionamentos são aplicados de forma coletiva e colaborativa. Aquele banco de talentos construído pelo esforço do selecionador pode ser movimentado considerando o interesse de outras empresas, sem prejuízo da primeira. Ao contrário, o comportamento empático do selecionador reforça a marca empregadora.

O selecionador mantém networking ativo, desenvolve-se em uma metodologia de seleção direcionada ao engajamento e tem todo o seu esforço reconhecido, inclusive financeiramente.

 

COMO FUNCIONA A WORK4ALL?

 

A empresa se cadastra e posta uma vaga na Work4all (www.work4all.com.br). Em até 24horas, a empresa recebe o contato de um especialista, que vai entender segmentação, os desafios da vaga, reportes da posição, perfil do candidato desejado, remuneração, cultura organizacional, testes que devem ser aplicados e outras questões que auxiliam no processo de seleção com foco em engajamento.

Com base nas informações da empresa e da vaga, a Work4all destaca até 5 Selecionadores Especialistas em Gente, pré-selecionados e treinados para atuarem no processo de recrutamento e seleção com foco em engajamento.

Os candidatos são avaliados com base em critérios técnicos, comportamentais, sociais e culturais. Estas avaliações identificam a probabilidade de engajamento do candidato com a empresa e desafios propostos para a função.

Todas as etapas intermediárias são realizadas pelos 5 Especialistas em Gente. Cada um recomendará até 3 candidatos finalistas. Para cada vaga contratada, a empresa contará com até 15 candidatos selecionados, prontos para etapa final. As entrevistas finais com os decisores são agendadas pelos Especialistas em Gente, obedecendo a melhor forma para a empresa contratante.

Não há perda de tempo com processos intermediários. Os gestores recebem todas as informações dos candidatos, avaliação e notas estabelecidas por item. Uma nota de recomendação final dos Especialistas em Gente, explica os pontos positivos e críticos para contratação de cada candidato finalista.

O Selecionador – Especialista em Gente que tiver seu candidato aprovado será bonificado com um percentual do valor de contratação. Uma bonificação menor é destinada aos selecionadores que tiveram seus candidatos pontuados pela empresa na 2° e 3° colocação.

O candidato aprovado também será bonificado.

A partir da postagem da vaga, a empresa apenas decide qual o melhor candidato, entre 15 possíveis, considerando a estratégia interna do negócio. Sem burocracia, o pagamento é feito apenas na contratação do candidato, 100% no sucesso.

Para saber mais sobre a Work4all, visite www.work4all.com.br.

Analistas de Recrutamento e Seleção que queiram saber como potencializar seus ganhos e trabalhar de onde quiserem, acessem aqui e cadastre-se na Work4all.