Network e candidatos: você conhece a contratação às cegas?

A escolha de novos funcionários é um trabalho crítico do RH de qualquer empresa, exigindo cuidado e dedicação para que sejam selecionados os melhores profissionais. Uma boa ou má contratação impacta diretamente os resultados corporativos.

Atualmente, uma nova modalidade desponta nesse cenário e começa a se destacar no Brasil. Trata-se da contratação às cegas, que pretende eliminar ou diminuir ao máximo qualquer preconceito consciente ou inconsciente do recrutador, a fim de encontrar a pessoa mais competente e capaz de entregar o melhor trabalho.

Mas como funciona esse processo? É sobre esse tema que vamos falar no post. Acompanhe!

Contratação às cegas e suas características

Na busca pelos profissionais mais competentes do mercado, os processos seletivos estão se modernizando cada vez mais. Empresas optam pelo uso de vários recursos para aprimorar essa escolha, como análise de dados, realização de testes psicológicos, análise de fit cultural, desenvolvimento da marca empregadora, entre outros.

Dentre essas técnicas, começa a ter destaque a contratação às cegas, baseada na omissão de dados que podem ser usados como pré-julgamento durante uma seleção de emprego. Na Alemanha, por exemplo, informações como o sobrenome são omitidos para evitar que imigrantes turcos tenham seu acesso ao trabalho comprometido graças à sua origem. O cuidado não é infundado: candidatos com nome tipicamente germânico têm 14% mais chances de serem chamados para uma entrevista de emprego.

Nesse modelo de contratação, informações como sexo, cor de pele e estado civil são omitidas para que a seleção seja feita com foco no trabalho que o candidato é capaz de entregar.

Essa modalidade de contratação ainda dá os primeiros passos no Brasil, mas é extremamente importante para um recrutamento mais justo e que valorize a diversidade. Enfrentamos basicamente seis aspectos que dão margem ao preconceito, mesmo que inconsciente: gênero, raça, orientação sexual, portador de deficiência, religião e idade (gerações).

Diferenças sociais no mercado de trabalho nacional

Apesar do Brasil ser conhecido como um país de grande diversidade, o mercado de trabalho não reflete esse conceito. A seleção por universidades de primeira linha acaba excluindo pessoas que não tiveram as mesmas condições financeiras ou de ensino que outras, o que não reflete exatamente a sua capacidade produtiva.

Entre as mulheres em idade ativa, apenas 52% participam do mercado de trabalho, contra 72% dos homens, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua.

Outra pesquisa, realizada pela Etnus, mostra que 67% dos paulistanos negros afirmaram que deixaram de ser contratados por racismo, enquanto 62% declararam já terem sido alvo de discriminação durante uma entrevista.

Os portadores de deficiência também têm dificuldades para entrarem no mercado de trabalho. Algumas pessoas afirmam que já foram dispensados logo no processo seletivo, julgados pela condição física, mesmo possuindo formação e experiência necessárias para o cargo. A lei que exige que todas as empresas tenham uma cota de vagas para portadores de deficiência é burlada frequentemente, graças à falta de fiscalização.

A contratação às cegas abre as possibilidades de mudança desse quadro, permitindo não só que essas pessoas tenham mais oportunidades de mostrar a sua capacidade como também promove uma diversidade maior na empresa.

O caso Nubank

A Nubank já instituiu uma etapa “às cegas” no seu processo de seleção. Durante o recrutamento para a vaga de engenheiro de software, é realizado um teste de conhecimento e lógica sem a inclusão de referências à sua identidade. Esse exercício é avaliado e a empresa realiza a entrevista pessoal com os candidatos que tiveram os melhores resultados. Isso permite que apenas o trabalho seja avaliado pelos gestores e responsáveis pela seleção, garantindo mais igualdade durante o processo.

Vantagens e desvantagens da contratação às cegas

Uma das principais vantagens trazidas pela contratação às cegas é a maior riqueza de ideias e conceitos proporcionada pela diversidade no ambiente de trabalho, traduzida em soluções mais criativas e maior desenvolvimento.

As contratações também têm maior qualidade, já que o fator mais relevante durante a seleção é a capacidade de trabalho e seu diferencial produtivo e de raciocínio dos candidatos. A marca empregadora também cresce, pois a valorização da diversidade é um aspecto importante nos dias atuais.

Como desvantagens, estão a necessidade de reestruturação do processo seletivo e maior tempo gasto nesse modelo de recrutamento. O preconceito é inerente a todas as pessoas, muitas vezes até de maneira inconsciente. Por isso, é necessário treinar a sua equipe de recrutadores e adaptar essa nova modalidade à sua empresa, já que não há um modelo pronto que possa ser usado em todas as companhias.

Porém trata-se de um período de adaptação importante para que a organização possa se adequar a uma nova realidade e valorizar os processos seletivos, atraindo e recrutando pessoas realmente capazes independentemente da sua cor, sexo ou crença.

A contratação às cegas reflete as mudanças que a sociedade vem enfrentando e deve ser considerada durante a escolha dos profissionais que vão colaborar com a sua empresa.

Aproveite para conferir o post que preparamos sobre o fit cultural e sua importância na hora de selecionar talentos.